clínica de estética
- 0 Com

Um tecnólogo em estética pode abrir uma clínica?

Guia de Profissões

tecnólogo em estética pode abrir uma clínica

Ter seu próprio negócio é o sonho de muitos brasileiros que querem ser seus próprios patrões e ter controle sobre sua vida. Para quem é formado em Estética e Cosmética, uma dúvida comum é se um tecnólogo em estética pode abrir uma clínica. A resposta é: sim! O curso superior na área habilita o profissional a desenvolver uma série de procedimentos estéticos corporais, faciais e capilares.

O esteticista poderá atuar em domicílio e também abrir sua própria clínica. Mas, para isso, é importante seguir alguns passos para que o estabelecimento funcione de acordo com as regras sanitárias. Veja abaixo o passo a passo.

Formação em Estética e Cosmética

Para se tornar um esteticista, é possível recorrer a cursos técnicos e cursos tecnólogos em estética e cosmética. A diferença entre eles é o tipo de formação. Tanto o curso técnico quanto o curso tecnólogo formam profissionais voltados para a prática estética, porém a diferença é que no tecnólogo, o estudante obtém conhecimentos de gestão e empreendedorismo, além de conquistar o diploma de ensino superior

Leia mais: Diferença entre o técnico e tecnólogo em Estética.

A grade curricular do curso tecnólogo aborda conteúdos específicos da área como Técnicas de Massagem Facial e Corporal, Estética Capilar, Terapias Alternativas, Procedimentos Estéticos Pré e Pós-operatórios e Cosmetologia. Em relação aos conteúdos mais generalistas, o estudante entrará em contato com assuntos como Gestão de Pessoas, Plano de Negócios e Oportunidade Empreendedora.

Assim, o profissional graduado em estética e cosmética será capaz de gerenciar uma equipe de técnicos e gerir seu próprio negócio.

Veja 5 passos para abrir uma clínica de estética

Faça um plano de negócio

Independentemente de ser um esteticista autônomo ou montar sua própria clínica, é muito importante fazer uma análise de mercado. Quem serão seus clientes? Onde você vai divulgar seu trabalho? Quais serão seus fornecedores? Isso é muito importante para não começar sem ter pelo menos uma base. Assim, para fazer os procedimentos, pesquise onde você pode comprar os materiais necessários. Aqui incluímos cremes, óleos, equipamentos de proteção individual (como máscaras, luvas, aventais e demais produtos), fora os que você pode usar para determinados procedimentos.

Se você tiver alguma reserva financeira, veja onde adquirir equipamentos para os procedimentos. Veja como funciona, se são de boa procedência e se têm garantia. Isso é fundamental para que você não seja surpreendido com problemas de funcionamento.

Ao mesmo tempo, verifique quem pode ser seu cliente em potencial. Comece divulgando seu trabalho para amigos e familiares que vão propagando para suas redes sociais. Fazer alguns procedimentos gratuitos em pessoas conhecidas e divulgar o trabalho depois é uma outra forma de anunciar o seu trabalho.

Registre-se como pessoa jurídica

O mais indicado é começar como MEI (Microempreendedor Individual). Basta ir ao Portal do Empreendedor na internet e se inscrever. É rápido e você já tem o seu CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica). Para poder emitir nota fiscal, pesquise na secretaria da Fazenda da sua cidade para saber quais são os procedimentos.

Veja também: 10 dicas para começar a empreender.

Isso torna o seu negócio legalizado. Se você trabalhar em domicílio, ter o MEI já basta. Mas, caso decida abrir uma clínica, outros documentos são necessários. Antes de fincar a bandeira, e ver esses trâmites burocráticos, pesquisa o lugar. Veja se há bom trânsito de pessoas, se fica próximo a salões de cabeleireiros, academias de ginástica, se tem fácil acesso a transporte público e estacionamento. Afinal, de nada adianta ter uma super clínica equipada se poucas pessoas passam por lá.

Uma vez com o local escolhido, faça toda a parte de registro nos órgãos governamentais. É necessário ter a Inscrição Estadual, o Alvará de Funcionamento dos Bombeiros, além de demais documentos exigidos pelas prefeituras. 

Essa parte pode parecer mais monótona, mas é o que dará segurança a você e seus clientes. Ter um local de trabalho dentro dos conformes assegura que você segue a legislação.

Capriche na estrutura da clínica

Aqui falamos da apresentação do local. Veja móveis adequados, uma sala de espera arejada e bem arrumada, itens de decoração que tornam o lugar mais agradável. Afinal, é uma clínica de estética, que também deve se preocupar com a parte visual do local, já que o cliente vai passar um bom tempo lá. Invista em equipamentos novos, com qualidade e procedência definida. Não é necessário comprar todos de uma vez, ainda mais se a grana estiver meio curta. Compre aqueles que você sabe que terão maior procura.

Tenha uma equipe

O esteticista deve se preocupar apenas com o seu trabalho – no máximo, fazer algumas pesquisas de matérias-primas e novos equipamentos. A parte de limpeza e recepção devem ficar a cargo de outras pessoas. Isso deixa seu trabalho mais livre e evita confusões com marcações de horários de clientes, por exemplo. 

Procure se atualizar na área

O trabalho do esteticista deverá estar sempre em atualização. Assim, reserve um tempo do seu dia para acompanhar as novidades do mundo da estética. Veja cursos, produtos, técnicas, equipamentos, acompanhe influenciadores da área, mantenha-se ligado. Se for o caso, você pode manter contato com outros profissionais e até médicos especializados para ter mais informações sobre determinados procedimentos. Isso trará mais segurança para você e para seu cliente.

Onde mais o esteticista pode trabalhar?

Caso ele não possa ainda ter seu próprio negócio, o esteticista pode trabalhar como autônomo em outras clínicas ou hospitais como prestador de serviços. Dessa forma, ele pode utilizar a estrutura existente no local para atender seus pacientes. Em troca, recebe uma comissão pelo seu trabalho.

Essa modalidade é boa para quem está começando na área e procura experiência, mas não tem dinheiro para investir em um negócio próprio. De qualquer forma, ter o CNPJ por meio do MEI é fundamental. Assim, o empreendedor pode emitir nota fiscal pelos serviços e recolher o valor dos impostos por meio do Simples Nacional. 

Veja também: Mercado de trabalho em Estética e Cosmética.

Assim, o trabalho do esteticista fica legalizado e, ao pagar o Simples, ele também contribui para a sua aposentadoria. Parte do valor pago ao Simples vai para o INSS, que já vai guardando dinheiro para poder se aposentar no futuro. Além disso, ele já se torna um segurado da Previdência Social e, no caso de sofrer algum acidente que o impeça de trabalhar temporariamente, pode receber o auxílio-doença.

Ele também pode ser um funcionário contratado em regime CLT (Consolidação das Leis do Trabalho), que é o trabalho com registro em carteira. Assim, pode atuar em hospitais, clínicas, hotéis, navios de cruzeiro e academias de ginástica.

COMENTÁRIOS